Teste de ATP: Quando a limpeza é importante, o conhecimento é poder

Sistemas de monitoramento de higiene de trifosfato de adenosina (Teste de ATP).

 A limpeza do ambiente e do equipamento é uma parte essencial da prevenção e controle de infecções e desempenha um papel vital na prevenção da disseminação de infecções.

Cada instalação deve ter uma estratégia para auxiliar e manter níveis muito elevados de padrões de limpeza. 

O monitoramento ideal desses padrões de limpeza são possíveis por meio de auditorias regulares e consistentes.

Benefícios do Teste de ATP

Uma ampla gama de indústrias pode se beneficiar com o uso de testes de ATP.

É importante verificar ativamente a eficácia dos procedimentos de limpeza para proteger seu negócio.

Embora o ATP não meça os vírus, esses resultados demonstram que as medições de ATP podem ser úteis para avaliar a eficácia das intervenções de higiene destinadas a prevenir a disseminação viral no local de trabalho.

Validação da limpeza das mãos – o Teste de ATP pode ser usado para verificar as técnicas de lavagem ideal e a limpeza das mãos dos funcionários quando usado diretamente na pele. 

Ao fazer esse tipo de teste, é importante identificar os níveis de aprovação / reprovação adequados, levando em consideração os níveis de ATP que ocorrem naturalmente nas células da pele.

Benefícios:

  • Método rápido, eficaz e preciso de validação das práticas de limpeza;
  • Evita violações de segurança que podem levar o fechamento ou multas;
  • Ferramenta de treinamento para educar a equipe sobre a importância de uma limpeza completa;
  • Verifica se as áreas de alto contato em suas instalações foram devidamente limpas;
  • Garante ao público que as superfícies foram testadas para vírus vivos e higienizadas;
  • Melhora os procedimentos de saneamento incorporando testes de rotina para traços virais;
  • Aumenta os dados de teste e monitoramento para apoiar seus procedimentos de saneamento;
  • Compartilhar relatórios com membros da equipe em reuniões regulares inicia uma conversa sobre oportunidades de melhoria e reforça positivamente os sucessos;
  • A higienização imediata após um teste positivo no local evita maior exposição ao vírus.

Por que considerar o Teste de ATP

Superfícies que são diariamente tocadas, assim como maçanetas, interruptores de luz, teclados, botões de elevadores, entre outros, representam rotas prováveis ​​para a propagação da infecção. 

Fômites, objetos inanimados ou superfícies que servem bem como veículos de transmissão microbiana são contaminados por indivíduos infectados através de contato direto ou pela sedimentação de aerossóis criados por espirros ou tosse. 

Os vírus são então transferidos para as mãos dos indivíduos que tocam essas superfícies e são subsequentemente introduzidos no local da infecção (ou seja, nariz, boca ou olhos). 

Como esses vírus sobrevivem em fômites durante algumas horas, dias ou semanas, as superfícies contaminadas representam um meio importante de transmissão de doenças infecciosas.

Escolhendo o Sistema ATP Certo

Existem muitos sistemas ATP disponíveis no mercado para apoiar a verificação de limpeza e higienização em fábricas. 

Por isso, alguns sistemas são mais confiáveis ​​do que outros e fornecerão resultados significativos, precisos e repetíveis. 

Certifique-se, portanto, de não escolher um sistema apenas com base em seu preço. 

Verifique a qualidade do instrumento, pergunte ao representante de vendas que tipo de dispositivo óptico é utilizado na construção do instrumento.

Além disso, faça uma avaliação executando testes de sensibilidade e repetibilidade. 

Também é importante considerar a funcionalidade e usabilidade do software fornecido com o sistema.

Isso garante que o software possa ser usado para personalizar planos de amostra.

Além disso, armazenar resultados de teste assim como, produzir relatórios e gráficos.

Gostou?

Gostou de saber mais sobre: Saúde conectada: a nova realidade para Hospitais. Fique ligado no nosso Blog, que vem muitas novidades sobre Biossegurança, Saúde, Equipamentos odontológicos, Hospitalares e muito mais. Leia também: Biossegurança E Desinfecção De Materiais De Moldagem E Moldes Para Profissionais De Prótese Dentária – Diferentes Técnicas de Desinfecção .

A Sanders do Brasil possui soluções para biossegurança, como lavadoras ultrassônicas, reprocessadoras de endoscópios, termodesinfectoras, secadoras de traqueias, entre outros, todos equipamentos destinados a segurança do paciente e dos operadores.

Importância do manual de padrões da Joint Comission International (JCI) para os Hospitais

No dia 01 de janeiro de 2021 entra em vigor o novo Manual de Padrões da JCI para Hospitais, isto significa que qualquer hospital acreditado pela Joint Comission International (JCI), ou que deseje ser no futuro, deve iniciar os ciclos de aprendizagem que vão permitir reconhecer, aprender e definir as estratégias de implantação dos novos requisitos.

O que é Joint Comission International (JCI)?

Entre as acreditadoras, a JCI (Joint Comission International) está entre os grandes destaques.

Isso se deve ao seu nível de excelência e confiabilidade.

A acreditação hospitalar é a comprovação de que a instituição médica cumpre todos os protocolos de segurança do paciente.

A JCI é a líder mundial em acreditação de saúde.

Além de autora e avaliadora de um dos mais rigorosos padrões internacionais de qualidade e segurança do paciente. 

Oferecendo assim educação, publicações, serviços de consultoria e acreditação e certificação internacional em mais de 100 países.

A JCI possui parceria com hospitais, clínicas e centros médicos acadêmicos, sistemas e agências de saúde, ministérios governamentais, universidades e defensores internacionais.

O foco é sempre promover padrões rigorosos de atendimento assim como fornecer soluções para atingir o desempenho máximo.

Prevenção aos Eventos Adversos Graves

O  2º Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar, do Feluma (Instituto de Pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e IESS (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar), mostrou que, em 2017, ocorreram 54,76 mil mortes pelos chamados “eventos adversos graves”.

O documento aponta ainda que cerca de 36 mil delas poderiam ter sido salvas.

Com uma acreditação internacional assim como a JCI, esses eventos adversos são minimizados ou até mesmo zerados.

Isso porque esses padrões possuem uma política de acompanhamento constante da qualidade e melhoria contínua do processo, que visa colocar a segurança do paciente sempre em primeiro lugar.

A acreditação Joint Comission International (JCI) hospitalar

A acreditação hospitalar é uma forma de certificar hospitais que seguem esses padrões de qualidade.

Ela surgiu no ano de 1923, quando um grupo de médicos ginecologistas canadenses, preocupados com a mortalidade materna, desenvolveram um processo que foi o primeiro manual de padronização existente.

Dessa forma esse manual marcou o começo da preocupação mais efetiva com a qualidade do sistema de saúde.

Por isso, o principal papel da acreditação é garantir que as instituições sigam protocolos, alinhando conceitos, padronizando modelos de processos e mantendo o ritmo e o foco em melhorias.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Institute for Healthcare Improvement (IHI) demonstram que até 17% do total de pacientes internados são vítimas de eventos adversos, que resultam em danos para o paciente.

Quais requisitos são exigidos para acreditação da Joint Comission International (JCI)?

Para atender às exigências, os hospitais levam cerca de dois anos no processo de acreditação.

Esse processo envolve visitas técnicas, análises de documentos e entrevistas, totalizando mais de 1.300 itens avaliados.

Portanto, para obter a acreditação da JCI, a instituição hospitalar deve seguir critérios e métodos descritos no Manual de Padrões de Acreditação da Joint Comission International para Hospitais.

O manual é composto por três seções.

Seção I

Padrões com foco no paciente, assim como, as exigências para participação na acreditação e os requisitos para participação na acreditação.

Seção II

Assim como a terceira seção, estabelece padrões administrativos que devem ser seguidos pela instituição de saúde.

  • Acesso aos cuidados e sua continuidade
  • Direitos dos pacientes e familiares
  • Avaliação dos pacientes
  • Cuidar dos pacientes
  • Anestesia e cirurgia
  • Gerenciamento e uso de medicamentos
  • Educação de pacientes assim como seus familiares

Seção III

E a Seção III tem como exigências para a acreditação da JCI:

  • Gerenciamento da comunicação, assim como, a informação
  • Melhoria da qualidade e segurança do paciente
  • Governo, liderança e direção
  • Prevenção e controle de infecções
  • Gerenciamento e segurança das instalações
  • Educação e qualificação dos profissionais

Por isso, essa acreditação segue um conjunto de padrões e protocolos que devem ser mantidos pelos hospitais.

Qualidade na segurança do paciente

Um dos principais benefícios da acreditação hospitalar está na segurança do paciente, já que isso comprova que rígidos protocolos são seguidos.

Além disso, instituições que passaram pelo processo de acreditação possuem gestões de qualidade que atuam forte e continuamente em todos os processos.

No caso da JCI, o foco está diretamente na segurança do paciente.

Portanto, os padrões foram criados com o objetivo de envolver toda a organização no processo de melhoria contínua e na manutenção da qualidade na assistência.

Além disso, implementar processos para produzir resultados mensuráveis e reutilizáveis.

Por fim, obter essa acreditação é um diferencial competitivo para ama instituição hospitalar.

Com isso o hospital passa a ser visto pela sua qualidade comprovada por um órgão internacional e que segue padrões de segurança, garantindo que os serviços oferecidos sejam de alta qualidade eque o bem estar do paciente está em primeiro lugar.

Gostou de saber mais sobre: Importância do manual de padrões da Joint Comission International (JCI) para os Hospitais. Fique ligado no nosso Blog, que vem muitas novidades sobre Biossegurança, Saúde, Equipamentos odontológicos, Hospitalares e muito mais. Leia também: Biossegurança E Desinfecção De Materiais De Moldagem E Moldes Para Profissionais De Prótese Dentária – Diferentes Técnicas de Desinfecção .

A Sanders do Brasil possui soluções para biossegurança, como lavadoras ultrassônicas, reprocessadoras de endoscópios, termodesinfectoras, secadoras de traqueias, entre outros, todos equipamentos destinados a segurança do paciente e dos operadores.

Aluguel de equipamentos hospitalares

Os principais benefícios em Alugar Equipamentos Hospitalares

Ao contrário da compra, a locação de equipamentos médicos e odontológicos oferece uma opção mais acessível e econômica para hospitais e clínicas, por isso trouxemos alguns dos principais benefícios de Alugar Equipamentos Hospitalares e como essa prática pode ser benéfica para o seu negócio.

A locação de Equipamentos Hospitalares foi projetado para fornecer aos donos de Hospitais, os equipamentos necessários para o atendimento com mais tecnologia e qualidade, por um valor muito mais acessível.

Se você não está familiarizado com os benefícios da Locação de Equipamentos Hospitalares Sanders, esse artigo oferecerá uma visão detalhada para que você possa tomar uma decisão mais informada na próxima vez que precisar de um novo equipamento em seu Hospital.

Ao alugar equipamentos hospitalares você preza pela economia e diminui os gastos.

A locação de equipamentos Hospitalares é, sem dúvidas, uma decisão que preza pela economia e faz parte de uma das estratégias para diminuir gastos em sua empresa.

Isso porque a locação de equipamentos não exige altos investimentos e os pagamentos são distribuídos e muito mais acessíveis.

Além disso, a locação de equipamentos diferente da compra pode ser vista como uma forma de despesa controlada, ou seja, os hospitais, assim como qualquer outra instalação de saúde pode deduzir os custos em suas receitas.

Custos fixos

Assim como mencionado anteriormente a locação de equipamentos médicos e odontológicos garante custos fixos ao longo de todo o período da locação.

Eliminando assim quaisquer custo de inflação associados à compra, juntamente com qualquer aumento repentino no custo do equipamento.

Você terá acesso às tecnologias mais recentes.

A tecnologia dos Equipamentos Médicos é continuamente atualizada e por isso, manter-se atualizado com os equipamentos mais recentes é uma importante iniciativa para garantir a qualidade dos negócios.

Os pacientes tendem a confiar muito mais nos profissionais quando equipamentos de última geração estão presentes.

Ao alugar equipamentos hospitalares as despesas de manutenção são cobertas.

A Sanders do Brasil é responsável ​​por lidar com toda a manutenção e reparo dos equipamentos.

Assim podemos garantir que o cliente possa manter seu equipamento sempre novo e sem custos.

Alugar equipamentos hospitalares.

Seja você médico, administrador ou empresário saiba que oferecer equipamentos de qualidade e de alta tecnologia, garante aos seus pacientes uma boa experiência e mais credibilidade.

Por isso, se você deseja aproveitar os muitos benefícios que a Sanders do Brasil oferece com a locação de equipamentos Hospitalares, entre em contato conosco através do nosso site ou através da nossa página de contato.

Gostou de saber mais sobre: Os principais benefícios de alugar equipamentos Hospitalares. Fique ligado no nosso Blog, que vem muitas novidades sobre Biossegurança, Saúde, Equipamentos odontológicos, Hospitalares e muito mais. Leia também: Biossegurança E Desinfecção De Materiais De Moldagem E Moldes Para Profissionais De Prótese Dentária – Diferentes Técnicas de Desinfecção .

A Sanders do Brasil possui soluções para biossegurança, como lavadoras ultrassônicas, reprocessadoras de endoscópios, termodesinfectoras, secadoras de traqueias, entre outros, todos equipamentos destinados a segurança do paciente e dos operadores.

Comprar ou Alugar Equipamentos | Qual é a Melhor Opção?

O crescimento de uma instituição tem como desafio aliar investimento responsável com um bom plano de desenvolvimento, por isso questionamentos como Comprar ou Alugar se tornam comuns, ainda mais se tratando de equipamentos .

A estratégia adotada para implementar a infraestrutura em um cenário de expansão ou em tempos de crise, certamente pode ser decisiva para se chegar a uma equação favorável.

A dúvida sobre comprar ou alugar equipamentos é quase sempre recorrente.

Mas sempre tendo em vista que hoje em dia é quase impossível gerenciar qualquer negócio sem o auxílio da tecnologia.

Como consolidar uma instituição no mercado, trabalhando de modo inteligente a demanda por equipamentos?

Entenda quais são os principais pontos que devem ser avaliados pelo gestor ao ampliar a sua estrutura e saiba qual a condição que melhor se ajusta a realidade de seu momento atual.

Coeficiente custo-benefício

Equipamentos de ponta são artigos que toda instituição quer para se tornar um diferencial.

Antes de fechar qualquer negócio, a solução é colocar todos os custos em planilha, elaborando um quadro de médio ou longo prazo.

No caso de compra, deve se levar em conta a manutenção, tempo estimado de vida útil, taxa de atratividade anual e valor de venda ao final do prazo requerido.

Feitos os cálculos, compare com as mensalidades de aluguel, frequência de uso e o valor de insumos e acessórios, caso tenha.

Este é um bom ponto de partida.

Atualização de equipamentos

Tenha sempre um equipamento atualizado tecnologicamente e atendendo todas as normas exigidas no período.

Valor de venda no mercado

Antes de tudo, para calcular o valor, estipule o prazo de vida útil do equipamento e projete a taxa de depreciação pelo tempo que pretende ficar com o equipamento.

A Receita Federal apresenta uma tabela que taxa a depreciação de 20% ao ano.

Não esqueça também de incluir a porcentagem do Imposto de Renda sobre as prestações de compra.

O valor residual do patrimônio deve apresentar uma vantagem à instituição, em termos de planos de expansão e de diferencial no mercado.

Lembre-se de que a aquisição aumenta o poder patrimonial, sendo vantajoso para aquelas que querem aumentar o seu poder econômico.

Garantias financeiras

Quando a compra for efetivada via financiamento, é exigido uma garantia financeira que compromete a instituição por conta da propriedade fiduciária. Esta se prolonga até o final do contrato, algumas vezes não sendo possível substituir os bens integrantes da garantia.

Custos de manutenção

Tecnologia é sinônimo de conhecimento e conexão com as atualidades.

Por isso, todos os equipamentos tecnológicos necessitam de manutenção e de cuidados constantes.

Esses cuidados garantem a sua boa funcionalidade e auxilia no bom andamento das atividades dentro da instituição.

Por isso, ao projetar os custos com a manutenção de material, tenha em mente a especialidade de mão de obra necessária para executá-la.

Nível de maturidade da instituição

O tamanho e a expectativa de crescimento de uma instituição são pontos essenciais para elaborar a melhor estratégia de investimento.

Portanto, antes de comprar ou alugar equipamentos, saiba delinear qual posição o seu negócio ocupa no mercado.

Caso esteja começando ou enfrentando uma transição de risco, certamente é válido incorporar o aluguel de equipamentos, mesmo a título de teste.

Em alguns casos, é possível combinar a aquisição de material com locação de bens mais valiosos, trazendo um equilíbrio harmônico para as finanças e para as prosperidades das atividades.

Por isso, antes de comprar ou alugar equipamentos, avalie cuidadosamente todas as vantagens e desvantagens que vêm acompanhados da ação.

A Sanders do Brasil conta com uma linha de equipamentos para CME e lançou uma linha comercial de alugueis de seus equipamentos, confira conosco os valores para compra ou para locação que preparamos para você.

A Sanders do Brasil possui soluções para biossegurança, como autoclaves, lavadoras ultrassônicas, reprocessadoras de endoscópios, termodesinfectoras, entre outros, todos equipamentos destinados a segurança do paciente e dos operadores.
Conheça nossas linhas de produtos, acesse nosso site: www.sandersdobrasil.com.br

Como é realizado o Teste de Segurança Elétrica?

Você ainda possui dúvidas sobre como é feito cada Teste de Segurança Elétrica em Equipamentos Médicos?

Nosso post irá esclarecer todas as suas dúvidas e exemplificar quais medidas garantem que o Equipamento esteja nas condições de funcionamento especificadas pelo INMETRO e ANVISA.

Normas e Especificações sobre o TSE

As normas responsáveis pela especificação e cumprimento do TSE são NBR IEC 60601 e IEC 62353.
IEC 60601 estabelece requisitos gerais para segurança básica e desempenho essencial dos equipamentos eletromédicos, sendo então a principal norma que trata sobre o TSE.

A verificação da Corrente de Fuga, Inspeção visual dos cabos, Medição da resistência ao fio de aterramento, Medição do isolamento dos chassis e do fio de contato com o paciente são os testes gerais determinados pela IEC 60601, além de classificar os Equipamentos Médicos em 03 classes.

Já a IEC 62353 é utilizada para testes de dispositivos médicos em hospitais, especificando a realização de testes recorrentes e testes pós reparos dos equipamentos, com o objetivo de padronizar as técnicas de avaliação da segurança dos equipamentos.

A ausência ou má execução da realização do teste de segurança elétrica é capaz de responsabilizar o responsável por danos causados ao paciente ou ao operador.

A principal ocorrência relacionada aos equipamentos eletromédicos é o acidente envolvendo a eletrecidade (choque elétrico).

Caso ocorra (por motivos que explicaremos abaixo) os efeitos podem ser adversos e causar até a morte! Dentre eles estão as contrações musculares, fibrilações cardíacas, parada cardíaca, eletrólise sanguínea, queimadura superficial ou profunda, perturbação no sistema nervoso e inibição dos centros nervosos.

Como é realizado o testes de segurança elétrica?

Os testes de segurança elétrica são realizados em 03 situações diferentes:
De modo periódico (de acordo com a necessidade de cada equipamento)
Após a manutenção do equipamento (após reparos e consertos)
Antes da primeira utilização no paciente (após ser instalado no local onde o equipamento será utilizado)

O teste se inicia averiguando a documentação necessária para o registro do processo, identificando o estado e informações da qualidade. 

Após a verificação da documentação, é necessário que sejam feitos quatro tipos de testes especificados pelas normas obrigatória, bem como:

  • Resistência de aterramento;
  • Identificar a corrente de fuga;
  • Resistência de isolamento e, por último;
  • Funcional.

Os testes são obrigatórios para todos os equipamentos, porém podem ser feitos de modo bastante específicos dependendo das características do próprio equipamento (classe, modelo, marca, tipo de alimentação).

Verifique no manual de cada equipamento, características que podem ser específicas do mesmo.

Após todos os procedimentos, é importante que o técnico (ou responsável pelos testes) efetue a documentação do procedimento.
A documentação do processo é uma etapa fundamental executada antes, durante e depois do Teste.

Além de servir como registro caso seja necessário o requerimento de provas, com a documentação é possível ter uma visão geral do estado do equipamento e declarar possíveis conclusões.

Etapas do Teste
Teste da resistência de aterramento.

O aterramento de um equipamento permite que seja construído um caminho adequado para a circulação das correntes do sistema, evitando acidentes e garantindo melhor desempenho da instalação.

O teste da resistência de aterramento é efetuado para verificar se existe o controle das tensões e correntes através de um caminho de baixa impedância para o terra. Ou seja, se o sistema de segurança do equipamento está conforme.

Este teste é executado utilizando um dispositivo que aplique uma determinada corrente (nunca inferior à 200mA) em uma resistência de 500mΩ, com tensão em circuito aberto de no máximo 24V.

Teste da corrente de fuga

A corrente de fuga é uma corrente indesejada e não funcional que é gerada a partir de isolamentos incorretos, fios e cabos ligados de maneira inadequada ou isolantes que foram danificados.

Caso a corrente de fuga flua por uma parte do equipamento que não está aterrada ou está de maneira inadequada, ela pode passar pelo corpo de uma pessoa que efetue contato com o equipamento.

Dividida em 03 tipos de corrente, o teste da corrente de fuga possui um espaço importante no TSE pois identifica possíveis defeitos no equipamento para que sejam eliminados, impedindo os riscos de choque elétrico.

Teste da resistência de isolamento

A resistência de isolamento é um tipo de resistência elétrica do material isolante do equipamento. Mas em boas condições de uso e aplicação, este valor de resistência deve ser alto, impedindo que a corrente flua caso toque no equipamento.

De acordo com as normas, este teste deve ser feito de acordo com a instrução do próprio fabricante. Mas geralmente é executada aplicando-se 500V contínuos entre dois pontos diferentes de teste.

Teste Funcional

O último mas não menos importante teste realizado nos Equipamentos Médicos, é o teste funcional.

Mas este teste trata-se da verificação de todas as funções básicas executadas pelo equipamento, antes da utilização.

Portanto, esta etapa é muito importante e necessita ser documentada. Por se tratar de testes específicos para cada equipamento, as normas não estabelecem procedimento padrão.

Conclusão

O teste de segurança elétrica para equipamentos médicos é indispensável tanto para a segurança dos operados quanto para os pacientes. Fica sob a responsabilidade da ANVISA fiscalizar tais procedimentos.

A responsabilidade de efetuar o processo parte dos gestores e técnicos da Instituição.

É importante ressaltar que antes de qualquer teste, o manual de cada equipamento deve ser observado e servir como material de apoio para a execução dos procedimentos.

A calibração dos materiais utilizados (como multímetro, por exemplo) também possui influência direta nos resultados encontrados durante o TSE de cada equipamento.

A utilização de programas analisadores e softwares pode auxiliar durante o procedimento e podem ser adquiridos em estabelecimentos de saúde ou ferramentas online. Porém ainda não substituem a documentação.

A Sanders do Brasil possui soluções para biossegurança, como autoclaves, lavadoras ultrassônicas, reprocessadoras de endoscópios, termodesinfectoras, entre outros, todos equipamentos destinados a segurança do paciente e dos operadores.
Conheça nossas linhas de produtos, acesse nosso site: www.sandersdobrasil.com.br